domingo, 23 de setembro de 2012

Gafes e pouca empolgação marcaram a passagem de Roseana por Matões


Por Abdenaldo Rodrigues/Matões Notícias


De Matões a governadora seguiu para Parnarama
Em visita relâmpago a Matões, pouco mais de meia hora, com a finalidade de alavancar a candidatura visivelmente antipática do candidato Elinaldo Colaço (PSD), a governadora Roseana Sarney (PMDB), mesmo no calor de 40°, sentiu uma campanha fria e fraca e uma tristeza estampada no rosto da militância que a recepcionou no estádio Osvaldão e no mine-comício no centro da cidade.

O esquadrão governista, constituído por secretários de governo e políticos regionais, chegou por volta das 09:30h, seguindo em caminhada com a governadora pela principal avenida até a praça José Sarney (aqui também tem escolas e praças exaltando a figura). Roseana, Elinaldo e Abreu (vice) foram acompanhados por uma pequena carreata, formada por carros e motos de candidatos a vereador da coligação, de políticos de Caxias, de Timon, de Parnarama e até de Bacabal.

Mal assessorada, Roseana cometeu várias gafes durante o seu discurso, que foi breve e evasivo, limitando-se a  renovar velhas promessas, que já se tornaram clichês nas poucas vezes em que veio ao município. Uma das tiradas mais infeliz foi chamar o candidato Elinaldo Colaço de "Doutor". Outra, foi indagar de forma titubeante, sobre quatro milhões enviados para projetos em Matões (só não falou para quais projetos foram direcionados esses recursos), que segundo informações colhidas por este Editor, na Comissão Permanente de Licitação (CPL) e Secretaria Municipal de Planejamento e Finanças, nunca existiram. A pior de todas as gafes foi falar sobre a tristeza que estava vivenciando do alto do palanque: "Estou sentido a cidade de Matões triste, estou sentido o povo de Matões triste, é hora de arregaçar as mangas e reverter esta situação". 

Os partidários da candidata Suely Pereira se mantiveram a meia distância para escutar as palavras da governadora e só  participaram efusivamente quando ela tentou levantar a moral dos oposicionistas perguntando: "Em quem vocês vão votar em 7 de outubro?". Nesse momento, centenas de partidários da socialista responderam: "No 40!". A desculpa de muitos oposicionistas para o fracasso do comício, realizado estrategicamente na principal praça da cidade, está sendo o horário. No entanto, para quem assistiu, ficou claro uma coisas: Roseana não conseguiria mudar os rumos da campanha vitoriosa de Suely Pereira nem que viesse morar em Matões.

Após o fiasco de Matões, a governadora e comitiva seguiram para a vizinha cidade de Parnarama, onde foram recebidos com protestos por parte de professores e populares daquela cidade.

4 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns amigo Abdenaldo, por recuperar este importantíssimo veículo de comunicação social. Espera-se que o "hacker de araque" seja "oficialmente descoberto" e pague pelo crime, pois formalmente sabemos quem é.
Quanto à vice-legitimada, tudo se encaminha para a maior de suas derrotas que ela já teve. Um forte abraço e vamos à luta.

Anônimo disse...

se a governadora tivesse vindo a matões pedir votos para suely pereira os elogios serão outros

Alcebíades Kemps disse...

“ A virtude da caridade mantém o homem numa reta ordem, ou seja, esta prática é fundamental e há uma relação de reciprocidade, pois, são as permutas quem contituem os atos concretos.

A visita da govenadora à cidade de Matões foi insossa e sem fundamento, porque a população interpretou como uma visita eleitoreira. Ela veio à Matões para dar suporte à candidatura de Elinaldo Colaço, um candidato com alto índice de rejeição pela população matoense, sem a mínima chance de ser eleito . A governadora nunca fez uma visita de cortesia ao povo de Matões. Sempre o tratou com desdém. O povo de Matões deveria ter cobrado dela qualidade na Educação Básica., já que o ensino nas escolas públicas do estado não têm qualidade nenhuma . O ensino do Colégio Eugênio Barro, que era um dos melhores do Maranhão, foi destruído. Então, o governo do estado deve uma explicação. As crianças e jovens se esforçam para aprender, mas não conseguem aprender o suficiente para coseguir um emprego para sua sobrevivência . O que a governadora do Maranhão gosta mesmo é de andar arrodeada de seguranças, com pompa de rainha e cometendo belas gafes , um sinal de que é mal informada . Mas ela não deva se esquecer que o Titanic era um navio gigante e foi parar no fundo do mar.

Anônimo disse...

Há 50 anos a ‘Famiglia SirNey’ usa o Estado para se servir e não há projetos para dar uma qualidade de vida a população.

ECC

Siga-nos pelo Google+ Followers