quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Alunos do João Paulo I participam de Palestra no Dia da Consciência Negra

Por: Luciano Matias/Crônicas de Matões

Estudantes assistindo palestra 

Os alunos do turno matutino do "Centro de Ensino João Paulo I", escola da rede estadual no município de Matões, participaram de uma palestra na manhã desta terça-feira (20) sobre o Dia da Consciência Negra". O palestrante foi o professor daquela instituição e titular do blog Crônicas de Matões, Luciano Matias Aquino.

Prof. Luciano Matias
Na ocasião o professor Luciano lembrou a importância da data, sobretudo para o povo negro: "Neste dia lembramos do martírio de Zumbi dos Palmares, grande líder da resistência negra, que foi morto pelas tropas do Governo e, sua cabeça exposta em praça pública, para amedrontar outros negros insurgentes".

Foi ressaltado que a dita abolição da escravatura, assinada pela Princesa Isabel, exacerbou o problema dos negros, já que não tinham como sobreviver sem capacitação profissional, sem moradia, sem segurança, sem saúde.

Foi salientado que ainda hoje os negros sofrem com a discriminação racial às vezes indiretamente manifestada, outras de forma explícita. Porém, resta lembrar de alguns avanço alcançados no governo do presidente Lula e da presidenta Dilma (ambos do PT), como por exemplo, as cotas nas universidades; a lei que obriga as escolas a ressaltarem a História e Cultura Afro, sobremaneira nas disciplinas de Literatura, História e Arte e, a abertura no governo de espaços de participação ativa de negros e negras, enfatizando a criação da Secretaria para Assuntos Raciais.

Os alunos da Escola João Paulo I mostraram-se bastante atentos à discussão que, espera-se, não seja mais uma atividade esquecida nos anais da instituição.

Um comentário:

Alcebíades Kemps disse...

TODOS NÓS SOMOS ZUMBI

O dia 20 de novembro é um momento para além do lamento e da comemoração em memória do grande líder do povo negro que morreu na busca por nossa liberdade e dignidade. É também o momento de reavaliarmos a nossa atuação neste cenário que não nos favorece. Relembrar Zumbi, coloca a todos nós na condição de sermos continuidade de sua luta. Entendemos que já passamos do momento de denúncias e vivemos hoje a época da ação, da mobilização organizada, da contribuição para um estado que de fato respeite os nossos direitos e os faça aplicáveis. Ser negra ou negro consciente, nos coloca em dias atuais na condição indissociável de sermos ao mesmo tempo formuladores e militantes ,cabeça e braços desse corpo que a militância social negra que já vem a séculos lutando por um Brasil melhor, justo e verdadeiramente de todos. O negro nunca aceitou pacificamente a escravidão. A resistência e a luta eram realidades bem presentes na sua vida. O estado brasileiro hoje é regido por um conjunto de leis que visam regular as relações sociais e, dentre esse Conjunto de Leis, que ditam os direitos dos negros ,está a Lei 10.639, que institui a obrigatoriedade do ensino de História e Cultura – Afro/brasileira e africana nas escolas do Brasil, sendo que na prática não são exercidas em muitas escolas do País. Não devemos permitir a negociação de nossos direitos sociais, a um estado que não respeite a diversidade, que é uma característica forte em nosso Brasil, no combate ao racismo, ao patriarcado e seus desdobramentos. Porém, primamos por um estado que assuma sua posição laica ante as diferentes manifestações religiosas que contribuem para a formação ética e moral de nosso povo, por uma economia pública que contribua para o engrandecimento de nosso Maranhão e do nosso Brasil. A população negra, assim, tem que estar sensibilizada dos seus direitos para realizar a pressão por mudanças, devemos todos nós lutarmos por mais políticas públicas que tenham como caráter promover a igualdade entre os diversos grupos étnicos de nosso país. É papel dos movimentos sociais organizados aumentar a sua participação na formação da agenda política e na apreciação dos resultados, para a garantia de sua efetividade. Os alunos do Colégio Estadual João Paulo, estão de parabéns por se organizarem e comemorarem o dia da Consciência Negra por meio de uma palestra que os sensibilizaram.

Siga-nos pelo Google+ Followers