quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Justiça suspende eleição do Sindicato dos trabalhadores Rurais de Matões

Por Elias Lacerda/Portal AZ
Trabalhadores rurais de Matões quando deixaram a sede da justiça do trabalho em Timon após decisão de suspensão da eleição
O juiz da Vara do Trabalho em Timon, Carvalho Neto, suspendeu a eleição que aconteceria no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Matões no próximo dia 2 de fevereiro. O magistrado atendeu ao pedido de opositores a única chapa que estava registrada. 

Na sede do blog do Elias: Conceição de Maria, Oziel Silva, Pedro Morais e Mário Viana.
Encabeçada pelo trabalhador rural Francisco Loureiro, o “Zome”, a chapa única inscrita é ligada a atual direção do sindicado, e na avaliação da oposição, ela estaria sendo beneficiada por várias medidas tomadas pela Comissão Eleitoral. Entre as medidas que a oposição diz ter sido prejudicada, está a anulação das duas tentativas de formar uma chapa para concorrer ao sindicato: recadastramento irregular de filiados e a total falta de transparência e publicidade dos atos da atual diretoria e da Comissão Eleitoral. 

Liderados pelo trabalhador rural Pedro Morais, ex-candidato que teve seu nome vetado pela Comissão Eleitoral, os trabalhadores rurais de Matões chegaram à sede da justiça do trabalho de Timon em caminhada. Cerca de duzentos deles lotaram a sede da Vara do Trabalho.

O juiz Carvalho Neto suspendeu a eleição do próximo dia 2 e determinou que o atual presidente Elias Araújo permaneça no cargo até o fim de seu mandato, no dia 28 de fevereiro próximo. Até lá, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Matões terá que organizar e escolher nova data para realizar o pleito eleitoral obedecendo a preceitos democráticos que não foram respeitados.

Pedro Morais, Oziel Silva, Conceição de Maria e Mário Viana visitaram a sede do blog do Elias Lacerda após a decisão judicial. Eles comemoraram a determinação do juiz Carvalho Neto. “Espero que agora consigamos superar essas distorções que eles quiseram implantar para a eleição. São 35 anos que um mesmo grupo manda no sindicato, nem eleição eles nunca fizeram antes”, resumiu o líder sindical Pedro Morais.

Um comentário:

Anônimo disse...

Sindicato gordo, ineficiente e atrapalhado.
ECC

Siga-nos pelo Google+ Followers