terça-feira, 2 de abril de 2013

Privatizar não é a melhor saída para o Maranhão, diz Rubens Jr.

Com informação da Assessoria do Gabinete Deputado Rubens Jr.
Um estado que pretende entregar à iniciativa privada alguns direitos básicos da população, como água tratada e hospitais, revela a sua incapacidade no gerenciamento dos recursos públicos. Ao transferir a responsabilidade às empresas privadas, o governo estadual demonstra fragilidade e ausência de propostas práticas em prol do saneamento básico e saúde para todo o estado do Maranhão.

O líder da oposição, deputado Rubens Jr., contesta o argumento sustentado pela base governista de que o estado não tem condições financeiras para viabilizar direitos básicos da população. “Um estado que bateu recorde em arrecadação, apresentando um superávit na economia e ainda com os empréstimos bilionários não tem como alegar que falta dinheiro. O governo mais uma vez atesta a sua incompetência e falta de capacidade para administrar os recursos públicos”, afirmou Rubens Jr.

No Brasil os negócios com água e esgoto representam cerca de 15 bilhões de dólares, por isso chama tanta atenção do empresariado. “Quando o Maranhão aderiu à política de tornar o estado menor e a iniciativa privada maior a sociedade saiu perdendo. Um exemplo disso aconteceu quando o Banco do Estado do Maranhão foi privatizado e agora com a CEMAR que apresenta a segunda tarifa de energia residencial mais cara do país”, ressaltou o deputado Rubens Jr.

Sanear sem privatizar - O exemplo da cidade de Santos confirma que o investimento do poder público e a cobrança da sociedade são capazes de solucionar o problema do saneamento no Brasil. Liderando o ranking anual de saneamento - que avalia os 100 municípios mais populosos do país –, Santos já fornece 100% de água tratada e coleta de esgoto à população. Sem privatização, a cidade que já teve metade dos seus moradores mortos por falta de saneamento básico, é hoje referência no tratamento de água e esgotos do país. 

Um comentário:

Basílio da Silva Rocha disse...

"Privatizar significa não apenas alienar o patrimônio público por preços irrisórios, mas abandonar qualquer plano coerente de crescimento...” O nobre deputado, Rubens Júnior, tem toda a razão quando se opõe ao sistema de privataria do estado do Maranhão. As instituições do estado pertecem por legitimidade ao povo maranhense e não ao governo do Estado. O estado não é uma propriedade privada com um único dono. O estado é do povo. O governo é apenas um representante que deve ter responsabilidade e zelar pelo patrimônio público a que lhe foi confiado. Privatizar é entregar o domínio das instituições públicas a terceiros; é um desvio de responsabilidade do governo para com o povo. É uma demonstração da falta de responsabilidade e incompetência da gestão do governo estadual. Será que esse governo do estado do Maranhão não tem escrúpulo?

Siga-nos pelo Google+ Followers